EPC X EPI


Implementar medidas de controle e segurança é fundamental para promover a saúde e segurança nos locais de trabalho. Dentre essas medidas, estão presentes os EPC e EPI. Os Equipamentos de Proteção Individual e Coletiva são responsáveis por assegurar a proteção dos trabalhadores.


Os acidentes de trabalho no Brasil preocupam cada dia mais os profissionais da área. Em 2015, foram mais de 612 mil acidentes registrados. Para diminuir esse número, existem diversas ferramentas para prevenir os acidentes de trabalho e evitar as doenças ocupacionais.


A Segurança do Trabalho é responsável por garantir a proteção do trabalhador contra os riscos existentes nos ambientes de trabalho e entre as principais medidas que pode se fazer para assegurar isso é a implantação dos EPC’S e EPI’S.


Se você não sabe a real diferença entre eles, vamos neste artigo explicar de forma rápida o que cada um é e quando devemos utilizar nos ambientes de trabalho.


EPC: Equipamento de Proteção Coletiva


Os Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC) servem para proteger os trabalhadores nos ambientes de trabalho de uma forma coletiva, onde todos os trabalhadores têm o benefício da proteção no ambiente em que existam riscos suscetíveis de uma forma geral. Os EPC’S na ordem de implementação devem ser feitos antes do uso dos EPI’S.


Tipos de EPC:

  • Placas de Sinalização;

  • Sensores de presença;

  • Cavaletes;

  • Fita de Sinalização;

  • Chuveiro Lava-Olhos;

  • Sistema de Ventilação e Exaustão;

  • Proteção contra ruídos e vibrações;

  • Sistema de Iluminação de Emergência.

EPI: Equipamento de Proteção Individual


Os Equipamentos de Proteção Individuais (EPI’S) protegem e minimizam o contato dos riscos garantindo a integridade física dos trabalhadores e reduzindo danos à saúde de todo trabalhador que possa estar exposto a algum risco nos locais de trabalho. Como o próprio nome já diz, é uma proteção individual para cada colaborador e de acordo com a NR 6 que fala sobre EPI, é obrigatório o fornecimento de forma gratuita por parte das empresas aos colaboradores, de acordo com os riscos associados para cada atividade.


Devem estar em ótimo estado de conservação para não comprometer a sua atuação quando necessários e devem também estar certificados de acordo com os órgãos nacionais competentes


Tipos de EPI's:

  • Proteção da cabeça: capacete de segurança, capuz, balaclava, etc;

  • Proteção dos olhos e face: óculos de proteção, máscaras;

  • Proteção auditiva: protetor auricular, abafadores de ruídos;

  • Proteção respiratória: respirador;

  • Proteção do tronco: coletes;

  • Proteção dos membros superiores: luvas de segurança, braçadeiras;

  • Proteção dos membros inferiores: calçados de segurança, calças.

Quando implementar o EPC ou EPI?


Quando os riscos ambientais são identificados nas áreas ou nas atividades a serem realizadas, o Engenheiro ou Técnico em Segurança do Trabalho devem agir para controlar, reduzir ou eliminar os riscos. Logo, uma série de medidas são adotadas. A proteção coletiva é a primeira medida e consequentemente, a implementação dos EPC’S adequados para cada ambiente de trabalho.


A partir do momento em que as medidas de segurança não forem capazes de proteger os trabalhadores diante os riscos ambientais existentes, os EPI’S são adotados. Assim, a implantação dos EPIS deve ser realizada de acordo com cada função e atividade desenvolvida do local de trabalho, oferecendo os equipamentos de proteção individuais e os treinamentos adequados!


Através deste artigo podemos identificar a importância de se ter os ambientes e atividades de trabalho com todos os riscos identificados e controlados e aqui na KLES nós temos o nosso profissional Técnico de Segurança no Trabalho que mantém nossas áreas e atividades seguras.


Faça seu orçamento em nosso setor comercial no telefone 21-3088-7880 ramal 130, estamos aptos a tirar todas as suas dúvidas e preparados para lhe atender da melhor maneira possível.



13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

2022